sexta-feira, junho 22, 2007

Um trio irresistível

Conheci o Manuel D’Oliveira numa sessão de estúdio do seu primeiro disco “Ibéria” , no qual participaram o Carles Benavent e o Jorge Pardo , com quem me fui reencontrar nesse dia , quase ao fim de vinte anos ...
E , por diversas razões , “Ibéria” é um disco muito especial para mim , mas é sem dúvida um excelente disco só por si , sem quaisquer outros motivos.

Ainda acompanhei o trabalho do Manuel por uns tempos , por tudo o que nos passou a ligar e também pelo seu talento. Posso dizer que teria sido para mim um prazer trabalhar com o Manuel , porque sempre acreditei no seu projecto, mas era uma entrega para a qual eu não tinha disponibilidade ( mesmo que tivesse havido convite ). E o Manuel seguiu caminho e um caminho cada vez mais longo e cheio de encontros que nos absorvem , tal como o meu . E a pouco e pouco , os nossos encontros , os telefonemas , os desabafos passaram a ser cada vez mais raros, pois é o que acaba por acontecer quando deixamos de ter tempo para nós.

E é também , de repente , que tudo volta e , por vezes , quando mais estamos a precisar , de quem e quando menos esperamos ( e basta um simples telefonema na hora mais errada que pode ser a hora mais certa ).

Entretanto o Manuel já lançou um segundo disco “Amarte” ( a Lena D’Água tem um livro com este nome “A mar te” ) e , sim , é uma vergonha , ainda não o ouvi. Entretanto o Manuel já tocou com diversos músicos de renome e por esse Mundo fora , mas parece-me que é mais uma vez este trio irresistível que me vai fazer voltar a reencontrá-lo, a reencontrar cada um deles , à sua maneira. Porque são pessoas que me tocam a alma e me deixam em estado de graça. Basta ouvi-los.

Não sei como vai ser possível , mas dia 30 de Junho não posso perder o concerto “ Ibéria Fluente “ , no Porto , na Casa da Música.

Tenho saudades , boas.




Guimarães , 2003 – Fotos de Márcia Lessa

5 comentários:

Pipa disse...

:) tive mais perto de ti nessa altura! e também tenho saudades, foram tempos bons, e a musica do manuel fez tão bem a banda sonora. gostava de poder ir contigo, não fosse estar na fase final do curso que me obriga a tanta entrega!
mas tenho a certeza que vais vir de lá, como sempre, a rebentar de emoções e recordações.... das boas!
depois conta como foi! :)
adoro-te!!*

Pipa disse...

PS- quero o cd da Lena D'Agua!!!! :P

Maggs disse...

lembro-me tão bem de nós em chão de ninguém, algures no Alentejo depois de um passeio por Espanha! dispersos pela planície, longe do carro escancarado de onde a música provinha para, de tão completa, a todos nos abraçar!

Ana disse...

Belo passeio e esse momento junto ao rio , como dizes , em terra de ninguém...

Marcia disse...

Ana, já te estou a ver nos Açores a ordenhar as tuas vaquinhas e a escrever o teu livro com todas estas histórias fantásticas. Escreves maravilhosamente! Parece que estou a ver tudo aquilo de que falas.
O concerto foi mágico, não foi? Choro sempe no tema que o Manel toca a solo... o Nicolinas. Desde o dia em que o conheci e me apaixonei que me emociono nos concertos.
Olha, sabes que gosto muito de ti, não sabes? Pois é...