segunda-feira, novembro 06, 2006

Casa das Artes , Arcos de Valdevez

Ontem , passado um ano menos um dia , voltei aos Arcos de Valdevez para mais um concerto na Casa das Artes , no auditório com lotação para cerca de 220 pessoas.
Em 2005 estive com o “Canções” do Pedro Abrunhosa , este ano com os GNR.
Dinamizar espectáculos deste tipo em salas com uma lotação tão pequena e sem qualquer tipo de apoios não é tarefa fácil . E não é fácil quando à frente de certas entidades estão funcionários públicos que contam apenas receber o seu ordenado ao fim do mês , não se preocupando minimamente com o tipo de programação que fazem e estando sempre à espera que algo caia do céu. Pois , nos Arcos de Valdevez as coisas funcionam de forma diferente.
O Nuno Soares é o programador desta sala , para além de assumir outras tarefas na área da cultura e do ensino. É arqueólogo de formação e uma pessoa especial , pela paixão que coloca naquilo que faz. E trabalhar em cultura em Portugal implica de facto uma entrega muito grande para lutar contra todos os obstáculos que se deparam pela frente , sobretudo o facto da cultura ser tratada como uma acção comercial e não como cultura.
Quando encontramos pessoas como o Nuno , tudo se torna possível , mesmo depois da apresentação de dois espectáculos de grande produção nos Coliseus do Porto e de Lisboa , ambos com salas cheias e um público excepcional.
Ontem , num ambiente bem mais intimista , com a sala a rebentar pelos costuras , os GNR estiveram no seu melhor , com o Rui Reinhino com um sentido de humor bem afinado , mesmo que uma ou outra vez não tenha estado no tom. São estes espectáculos que chegam de facto às pessoas, os que são genuinos , directos. São estes espectáculos que inspiram os músicos , os autores , os compositores. São estes espectáculos que enchem a alma de quem os vê e ouve , porque são irrepetiveis e não podem ser pirateados.
E , sim , vale a pena viabilizá-los sempre que do outro lado encontramos alguém que os saiba divulgar e que saiba receber ( mesmo com as limitações adjacentes ).
E é sempre bom voltar aos Arcos e ao Rio Vez que esta manhã corria e brilhava de tanta frescura.

PS :
Ainda estou para saber porque razão o Rei me dedicou o tema “Homem Mau” :)