sexta-feira, janeiro 16, 2009

MAFALDA VEIGA NOS COLISEUS

Partir de um princípio base de só querer é ser feliz, chegamos muito mais longe. Seguramente mais longe, quando nos entregamos às palavras e a tudo o que nos dão, às musicas e aos lugares incríveis a que nos levam. Quando deixamos que o momento faça sentido por tantos outros momentos que ali ficam contados. Pelo que por aquela canção passa, uma vida inteira ou só um momento, quando a ouvimos outra vez. Quando a ouvimos de repente. Quando nunca a tínhamos ouvido.

A Mafalda Veiga tem este dom, de nos transportar ao infinito das nossas verdades, ao espelho das vontades mais secretas, ao grito mais guardado.
E por isso, às vezes, às escondidas, ao medo.
De não chegarmos lá, de não conseguirmos ter aquela força que por ali corre, aquela luz que guia o que nos canta.
O Chão que agora ganhamos ajuda-nos a enfrentar o espelho. A acreditar que um dia a maturidade chega, que todos os dias podemos construir um caminho melhor. Uma estrada para ser feliz.
Tudo a ver com os nossos dias ao volante…

Foi por isso que este casamento estava escrito antes de ser cantado aos sete ventos:
Na estrada real, que cruzamos todos os dias, queremos sentir o ar, “tu e eu a descobrir o ar / não é preciso correr/ não é urgente chegar/ o que é preciso é VIVER” , o ar que nos deixa avançar. E temos medo, tantas vezes. Dos outros e nosso. Na estrada real, gostávamos que os outros fossem pontes a salvar-nos, mas temos de nos bastar: temos mesmo de ter o mundo inteiro dentro do nosso olhar, não perder um segundo, não abrandar na vigilância de aproveitar.
Não podemos continuar a perder dias em vão, vidas em vão. A perder o que sentimos quando os outros partem. Quando nós partimos.
A Mafalda percorre uma Estrada a caminho desta luz forte que nos une nas canções, que nos lembra “o que é preciso é viver” ponto final. Com gosto. Com cuidado. A amar os outros profundamente, numa entrega cheia de vontade. E é isso que tentamos todos os dias nos quilómetros percorridos: que a entrega valha a pena, que nos lembremos de quem fica. Dos outros. Do que ainda pode vir a ser.

Estas noites dos Coliseus são grandes, enormes dentro de nós. Porque saímos a cantar, cheios de coragem para o que temos de mudar. Lá fora nas ruas, nas estradas reais, também temos de mudar, prevenir, enfrentar o horror e transformá-lo. Em palavras e atitudes, nos carros e nos lugares escondidos onde ouvimos canções: somos sempre nós, é sempre real. E a vida pode mesmo rasgar bocadinhos gastos de maus hábitos rodoviários. Ah, sim. Era mesmo disso que estávamos a falar. Pode mudar ventos e levantar marés, em vez de continuar a ouvir sempre as estórias horríveis da estrada que nunca tem maiúscula a não ser na capa do disco.

Desta, a Mafalda Veiga foi mais longe, ligou-se ao ACP e à Liberty Seguros para pôr em actos as emoções, para juntos percorrerem uma Estrada melhor, com Chão para colheitas de dias melhores.
Desta, não temos desculpa no tal espelho em que ela é perita, para virar a cara e dizer que não é connosco.
É connosco.
Connosco, que só queremos é ser felizes.

Margarida Pinto Correia








Em palco com a Mafalda :

António Pinto - guitarra acústica , guitarra dobro e voz
João Barbosa - guitarra eléctrica , guitarra dobro e voz
Filipe Raposo - piano , wurlitzer , fender rhodes e voz
Miguel Ferreira - teclados e voz
Paulo Jorge Ferreira - baixo
Miguel Casais - bateria
Músicos convidados :
João Carlos - trompa
Rodolfo Neves - fluggel
Lars Ahrens - trombone e eufónio
Catarina Anacleto - violoncelo
Convidado especial : TIAGO BETTENCOURT.


E é esta a razão porque ando desaparecida !

Amanhã , lá vamos nós para o Porto , para uma noite de tertúlia na Fnac do Marshopping , com o Artur Silva e o Tito Couto a mediar a conversa.



E sábado , o COLISEU espera-nos e só mesmo no fim , fim é que eu vou respirar fundo e sorrir porque afinal tanto trabalho e tanta doidice valeram tanto a pena :)

( depois , dias 23 e 24 é em Lisboa e espero que até lá a minha família e os meus colegas continuem a ser uns “santos” )

4 comentários:

Catarina disse...

Minha querida Aninhas!
O teu trabalho, o teu esforço e toda a tua dedicação valem sempre a pena! Porque tu fazes tudo com muito Amor e Paixão!
És Linda!
Sexta ou Sábado lá estarei.

Bjs

Pêndulo disse...

o concerto de ontem foi simplesmente FABULOSO, Ana :)) estava à espera de um bom concerto, mas superou as minhas já elevadas expectativas :))

Agora, aguardo pelo de dia 23 em Lx... não sei se o público corresponderá da mesma forma que ontem (o público do Norte é de facto especial), mas a Mafalda Veiga tem um clube de fãs à séria, que fazem estrada para a ver em cada concerto :))

E adorei o "antes" do concerto, com as fotos tiradas em tantos momentos... e reconheci uns quantos concertos, especialmente as Queimas de Coimbra...

...quanto ao tema do Jorge Palma, apesar de adorar o Mifá na interpretação da Mafalda, o tema escolhido (com que o Mestre costuma ultimamente terminar os concertos) diz-me muito... :)))

Até dia 23... :))

beijos e obrigado por todo esse trabalho com tão bons frutos :))

Ana disse...

Catarina , é bom ver-te sorrir :) Lá te espero pelos Coliseus.

Pêndulo , já tinha saudades tuas e adorei saber que viste o concerto e que o sentiste desta forma tão especial. Foram meses a pensar nestas noites e começar no Porto ,com a sala esgotada e com aquele público sempre tão fabuloso foi , sem dúvida , uma grande estreia e o sentido de tantos nervos e tantas noites em claro :)
E a "gente vai continuando " ,com aqueles que tanta falta nos fazem, mas que nestes dias ainda mais que nos outros dias estão sempre tanto em nós.

Pêndulo disse...

Adorei o concerto, MESMO, Ana! e talvez o de dia 23 seja um pouco mais especial, pela companhia que irei ter e que me desafiou a ir a Lisboa :))

Tenho vindo cá de vez em quando ver o teu canto, mas o tempo tem sido pouco para escrever...

...e como te disse uma vez, e tu bem sabes, aqueles de quem gostamos nunca nos abandonam - enquanto vivermos, vivem connosco..

um beijo