quinta-feira, setembro 25, 2008

De volta à realidade

Nem há tempo para grandes adaptações e o que estranhei mais foi acordar com o som tremendo de ambulâncias de um lado para o outro e todo um burburinho permanente, da cidade.

E só tenho vontade de voltar a ouvir aqueles sons fantásticos das cagarras e do mar a bater na encosta à noite e mil e um sons maravilhosos de toda a espécie de pássaros e ainda o cantar do galarote do galinheiro lá de casa, ainda mal o sol despertou.

Depois , vem aquela outra parte horrível – o que vestir. Passei 15 dias em fato de banho e chinelos ... Eu não sou nada de toiletes complexas , mas a sensação de não ter o fato de banho vestido e a certeza de que vou passar todo o dia sem dar um mergulho no mar com os meus amigos peixes , até arrepia !

E enquanto não se sai de casa , a coisa ainda se dá. É que casa é aquele cantinho onde estamos sempre confortáveis e protegidos do Mundo lá fora.

Voltar a conduzir o meu Twingo soube-me bem ( como tenho pena de não o poder levar comigo para o Pico ) , mas sair da garagem e não ter aquela visão vislumbrante da montanha , dos pastos , das fajãs , do ceú e do mar ... tudo é cinzento , porque o verde e azul da cidade estão cada vez mais esbatidos ( maldita poluição )e o cimento não pára de se propagar. E depois ... são só carros à minha volta , em vez de vacas a impedirem o caminho :(

Primeiro embate feito , fica-me também a saudade de ter que ir à procura da padaria onde se faça o melhor pão , do pescador que tenha ido ao mar voltando para terra cheio de peixes deliciosos , daquela casa onde ainda se faz queijo fresco , daquele terreno onde se encontra a pimenta da terra , de um espaço com internet , de um café com TV cabo para o Mário ver o futebol , de alguém com quem se mete conversa e se ficam horas a ouvir histórias da terra ( histórias de vida ) , enfim... aqueles segredos que se vão descobrindo a pouco e pouco numa ilha. Aqui há acesso a tudo e mais alguma coisa ( útil e inútil ) , porque assim tem de ser por causa da vida louca que se leva na cidade, mas não há acesso ao que dá sentido à vida , aquilo que cada um é de facto.

E porque ficar em casa iria tornar o regresso à realidade pior ainda , a tarde de ontem serviu para o Mário ir rever os seus colegas à escola e para retomar as aulas de natação e eu resolvi ir até ao escritório tentar perceber o que se tinha passado nestas duas semanas, fazendo de conta que lá não estava , pois muita gente esperava a minha chegada para me encher de telefonemas com assuntos urgentes , inadiáveis, que foi o que aconteceu hoje todo o dia :(

Eu bem que tento não stressar , mas a carga que me põem em cima da cabeça, dos ombros , do corpo todo e da alma , não ajuda nada ! Valeu-me a subida à montanha ( só consegui chegar à cratera , o que foi um milagre ! ) e o guia Manuel , para com quem praguejei todos os males e raivas acumuladas de um ano alucinante de trabalho, durante a terrível descida da montanha em que eu insistia em afirmar que não podia ter subido tudo aquilo ! Mas pelo andar da carruagem , rapidamente teria que voltar a subir o Pico para me manter minimamente sã de espírito.

Resta-me o momento em que volto para casa , deito o meu filho e fico aqui à volta das fotografias destas maravilhosas férias . Não são nada de espectacular ( a máquina também não o é e faz agora um ano que lá aderi a ter uma digital ) , mas são as minhas fotografias . Eu gosto de fotografar , mas não percebo nada de tal arte. A coisa é muito intuitiva e não recorro a segredos de velocidades , de luz , disto e aquilo, porque máquinas nunca foram o meu forte. E muito menos trabalho posteriormente as fotografias , melhorando este ou aquele pormenor. O que sai , sai. Umas mal , umas bem. Enfim , são momentos , que tentarei partilhar aqui em breve.

Por fim , apercebo-me que o grande embate é não poder disfrutar do tempo e pensar que me continua a faltar a coragem de renunciar a tantas necessidades desnecessárias! O Palma ( com quem me encontrei no regresso a Lisboa , via Ponta Delgada , pois viemos no mesmo voo ) é que tem razão : “reduz as necessidades se queres passar bem “.

E de volta à realidade , não me posso distrair muito mais hoje. Há que acordar dentro de poucas horas e ligar o piloto automático.

1 comentário:

Cosmic Girl:: disse...

Ana, espero que as suas férias tenham sido maravilhosas.

As fotos de Ílhavo do Pedro só saíram agora. Ficaram muito escuras devido à iluminação, mas se quiser ver algumas poderá fazê-lo no meu site pessoal (http://www.pbase.com/luzikz/cancoes__ilhavo) e se quiser algumas fotos diga, terei todo o gosto em disponibilizá-las.

Beijo grande,
Vera