quinta-feira, janeiro 17, 2008

Pai

Aprender a viver sem a tua presença custa , custa muito , mas foi tanto , tudo o que me deste , que apesar da tua ausência , já fez hoje ( dia 16 ) 3 anos , estás todos os dias comigo e sempre que penso em ti ,penso em ti , assim , a sorrir ...


E apesar de , todos os dias 16 de cada mês , a mãe mandar rezar uma missa pela tua alma , não leves a mal que eu só esteja presente na tua missa de Janeiro ( porque sei que , estejas onde estiveres , só podes estar junto à estrela mais brilhante ) . Eu sei que não eras muito de missas ( normalmente adormecias ) , não por falta de fé ( bem pelo contrário ) , mas porque o que conta é aquilo que fazemos todos os dias da nossa vida. E são precisamente os teus princípios , a tua generosidade e a tua grandiosidade que dão tanto alento e sentido à minha vida , agora bem mais vazia sem ti ao meu lado , mas mesmo assim muito cheia de tudo o que me deixaste e de que tanto me orgulho. Sem ti , não seria o que sou. Queria tanto abraçar-te e dar-te um beijinho na careca...

2 comentários:

José Miguel Gomes disse...

I still can't say goodbye

http://serenismo.blogspot.com/2007/12/i-still-cant-say-goodbye.html

Universidade disse...

Como compreendo tão bem o que dizes. É uma ausência presente o que fica. Chega a ser confortante, cumplice, nem sei bem. Beijo gordo da são.