segunda-feira, outubro 29, 2007

Tudo ao molho e fé em Deus

Sábado , dia 20 , estive em Oliveira do Bairro , na Fiacoba 2007 , com os GNR.
Foi o primeiro dia da feira , portanto aquele dia em que ainda há tanto detalhe por tratar e, por azar , aos GNR calham muitos primeiros dias e aberturas de programações. Mas , para além de um ou outro pequeno pormenor , tais como a falta de espelho no camarim , o catering chegar um pouco tarde e ter que antecipar o fim do ensaio para a cerimónia inaugural da feira , a coisa deu-se , numa noite fria e húmida , própria de Outubro.

Este sábado , 27 , porque a Lena estava com o Lado a Lado em Torres Vedras , voltei a Oliveira do Bairro , desta feita com o Pedro Abrunhosa & Bandemónio. Julgava eu que ia ter um dia tranquilo... sim ,porque não havia razão para que assim não fosse.

Os pormenores que no primeiro dia estariam por tratar , estavam agora operacionais. Tirando o problema de terra na corrente , que se “resolveu” , estava tudo a postos para trabalhar dentro dos horários previstos , devidamente informados e aprovados. Quando ainda estávamos apenas a testar as vias dos instrumentos , começou todo o reboliço. Mesmo ao lado do palco , decorria um concurso hipico , o que nunca nos foi informado, apesar de antecipadamente ter perguntado se haveria outras actividades no local que pudessem interferir com os nossos trabalhos, obrigando à sua interrupção, ao que sempre foi respondido que nada estava programado. É claro que os cavalos , com o som de um PA a bombar , se passam , com riscos de quem os monta ficar ferido. Como tínhamos o trabalho adiantado , interrompi o mesmo, pelo período que se estimaria entre 45m/60m , mas que passou os 90m. Pude finalmente começar o ensaio, sem afectar os cavalos, eram cerca das 18.15h , quando começo a ver gente a aproximar-se da régie , como que a pedirem contas ao João Carlos pelo barulho que estava a fazer. Eu até estava a ser paciente e bastante benevolente , mas tanto abuso começou a complicar-me o sistema nervoso ... bazei do palco e num tiro cheguei à régie , de forma a que o João Carlos pudesse fazer o seu trabalho e não ser massacrado com criticas e ordens para parar com o som. Enchi o peito e enfrentei aquelas gentes. É que para além do concurso hipico , estavam agendados concertos com bandas filarmónicas , pelas 17h ( que chegou a tocar mesmo durante o concurso de cavalos ,pois o som não afectava os mesmos ) e pelas 18h. Ou seja , nada estava programado no período estipulado para as nossas montagens , ligações, afinações e ensaios, mas afinal o dia estava repleto de actividades que interferiam com o nosso trabalho ! Se eu já não soubesse que neste tipo de eventos é quase sempre assim e se não tivesse tido o cuidado de me prevenir , embora já estivesse tudo garantido por contrato , ainda podia ficar com algum peso na consciência, mas assim só pude ficar possessa. A organização teve de optar : eu continuava o ensaio para poder fazer o concerto à noite ou parava para actuar a banda filarmónica e não havia concerto à noite. Decidiram-se pela primeira opção ( e a banda não quis actuar depois do nosso ensaio , o que não critico , pois é legitimo - também eles foram vitimas de incumprimentos contratuais ) . Não foi má vontade , nada mesmo. Simplesmente , não posso colocar em risco o espectáculo do Artista que estou a representar e não posso fazer de palhaços os elementos de uma equipa que ali está a trabalhar desde manhã. Mas a coisa não ficou por aqui... o concerto estava marcado para as 22h e pediram-me para começar às 22.30h em ponto. E é à hora acordada que o Pedro quer entrar em palco. Então , lá tive que mandar o rancho folclórico parar a sua actuação , para dar inicio ao concerto do palco principal.

A noite estava um gelo , mas o Pedro e os Bandemónio aqueceram o público com um concerto eficaz , como já é habitual. Gostei de ouvir a banda , agora com o Pedro e o Marco e de voltar a ver o Pedro em palco , sempre um comunicador por excelência ( há coisa de um mês estive com eles a trabalhar num evento privado,mas não tive oportunidade de ver e ouvir o espectáculo).

Eu gostava de ter podido aproveitar um pouco melhor , ou com mais onda , a companhia de colegas e amigos com quem não fazia estrada há tanto tempo e acabei por andar doida de um lado para o outro com questões que se poderiam ter evitado , caso a organização tivesse tido o cuidado de conciliar as actividades ( a mais ) que foram programadas para o mesmo dia , no mesmo espaço. Mesmo assim, desta vez soube-me bem voltar à estrada com todos eles e com os novos elementos :)

E no fim disto tudo , eu é que vou ser a má da fita ,mas também tenho aprendido a viver com isso...

4 comentários:

Cosmic Girl:: disse...

A Ana é um ser humano fenomenal. Adorei conhece-la!

Beijinho grande e espero vê-la muito mas muito mais vezes!!!

Vera

Pêndulo disse...

Oliveira do Bairro... estive lá dia 26 (claro, né???)...a organização caótica, mas... também podia ser pior, convenhamos. Ou pelo menos, já vi pior...

o mau foi que apanhei uma bela duma gripe com o frio... o bicho mau me pegou :)))

um beijo

Ana disse...

Olá menina Fernanda :)
A coisa até que não estava nada má e a visita técnica já estava feita desde a semana anterior. O problema foi com o concurso hipico e actuação de bandas filarmónicas que decorriam à hora do ensaio de som ! 6ª feira era dia de semana e ninguém levou com este filme , mas no sábado bem que me lixei :(

Pêndulo disse...

Pois... mas na 6a feira até que a malta da grade se rendeu ao velhote exímio em tocar acordeão... :-)))

um beijo Ana... e tudo de bom :)