terça-feira, julho 17, 2007

O que ficou por contar

E esta semana começa tão stressante ou ainda mais do que a que passou.
É que o trabalho aperta com os concertos e tanta viagem pelo meio ( o que vale é que as milhas vão-se acumulando ora no cartão da Tap , ora no cartão da Sata ) e eu não sei para onde me virar.
O que sei é que tudo tem que ficar orientado , pois as férias com o Mário estão marcadas e não há volta a dar ( já bastou o ano passado ).

A semana que passou ia-me levando à loucura , tanto assim que na 4ª feira tive mesmo que ficar em casa de repouso , tantas eram as tonturas do cansaço. Cansaço esse que me levou a medidas extremas , tão pouco usuais na minha pessoa , mas chega uma altura em que tem de ser !

Na 3ª feira fiz o meu primeiro concerto com o Carlos do Carmo com a Orquestra Sinfonietta de Lisboa ( 27 elementos ) , dirigida pelo Maestro Vasco Pearce de Azevedo.
Confesso que estava um pouco preocupada , pois apesar de andar nestas lides há uns valentes anos , nunca tive oportunidade de trabalhar com uma orquestra , pelo menos da forma directa como o fiz nesse dia.
Valeu-me o facto da produção do concerto ser do Xico e da Gina ( super grávida ) que já conheciam o concerto com esta formação. Também o produtor da orquestra , o Helder , foi uma excelente ajuda. Fiquei a saber como dispor a orquestra em palco: os primeiros violinos , os segundos violinos , as violas , os contrabaixos e os cellos – da esquerda para a direita do maestro .
O ensaio de som foi muito pacifico e houve mais que tempo para um jantar ( demasiado barulhento ) , mesmo ali ao lado da Academia Almadense.
Mas o espectáculo integrava-se na entrega de insígnias da cidade de Almada e a espera de cerca de duas horas foi desesperante para todos – desde o fadista , aos músicos , aos técnicos e a mim própria que ali estava desde as 11 horas da manhã e como estava calor ! O calor arrasou com todos nós !
É incrível como as pessoas não têm noção do que é receber um prémio e ter o poder de síntese tão importante nestes momentos ( como o pai era mestre em sintetizar ! ) . Porque “carga de água” houve quem discurssasse para cima de 20 minutos ? Imagino o que não terá sofrido a presidente da Câmara que assistiu a toda a cerimónia de pé !
Não fosse o Carlos do Carmo ser tão querido naquela cidade e acredito que o público tivesse debandado ainda a meio da cerimónia das insígnias. No entanto , este aguentou-se firme para assistir ao espectáculo e ainda houve direito a “encore”.
Essa noite foi especial porque também reencontrei o “velho” Laranjeiro , homem do partido ( daqueles de uma integridade intocável ) , com quem tanto trabalhei nos meus primeiros anos nesta actividade dos espectáculos por causa da contratação do meu querido e saudoso Rão , com quem vivi momentos que não vou esquecer nunca. Tive ainda o prazer de conhecer um grande amigo do Carlos , o grande compositor Ivan Lins , que tanto acompanhou a minha adolescência com o seu disco “Daquilo que eu sei “ de 1981 , dos poucos discos que ainda guardo em vinil.
O Ivan actua amanhã no CCB e gostaria muito de assistir ao seu concerto , mas em vez disso , vou ficar a fazer noitada lá pela Oficina...

O primeiro concerto do LADO A LADO , depois da edição do disco , teve lugar na 6ª feira , no Funchal , na Praça do Municipio e sendo que o road manager deste projecto é a Lena ( por uma questão de imparcialidade que eu até entendo , aceito e ainda bem que é ela ) e tratando-se da tal primeira apresentação ao vivo , era suposto eu viajar com parte da comitiva na 6ª feira de manhã para o Funchal e dar o apoio que fosse necessário, mas sobretudo acompanhar os Artistas à Conferência de Imprensa e sessão de autógrafos , marcados na Fnac. No entanto , tudo se enguiçou lá pela Oficina e a minha presença nessa 6ª feira no escritório tornou-se uma questão fundamentalista. Então , na 5ª feira à noite , seriam cerca das 21.30h tudo se alterou ( porque me passou um “vipe” pela cabeça ) . Foi o Pedro Pestana quem acabou por partir para o Funchal na 6ª feira de manhã. Mas este era o primeiro concerto dos “meus meninos”, de um projecto por quem dei tanto de mim e eu tinha que estar presente , nem que fosse só para estar com aquela maravilhosa equipa e assistir ao espectáculo naquele espaço tão bonito , que como eu previa se tornou mágico.
Sempre quis fazer um concerto com a Mafalda neste local ( ou no Baltazar Dias ) , mas a ocasião surgiu com o LADO A LADO e fiz questão de não faltar.
Cheguei ao palco pouco antes do espectáculo começar e foi comovente o carinho com que todos me receberam.
Desta vez , estive do lado de fora , junto à régie e soube-me tão bem ! Foi bonito e o cenário era a fachada da Câmara Municipal , que o Carlitos lá iluminou como pôde , mas como sempre , bem.
Depois da actuação todos estávamos felizes e os abraços e sorrisos não tinham fim.
Seguiu-se uma sessão de autógrafos prolongada , onde sempre aparecem pessoas especiais. Desta vez foi a Claudia , com quem acabei por passar a noite até de madrugada , na companhia do meu colega/cúmplice , o Pedro.
Fiquei no quarto com a Lena e ao chegar tive muito cuidado para não a acordar , mas o problema surgiu quando adormeci ... finalmente o Luis tem uma aliada que se queixa tanto do meu ressonar quanto ele . Ao fim ao cabo , nem eu , nem ela dormimos nada de jeito e o melhor mesmo foi tomar o pequeno almoço e ir para as piscinas naturais mesmo ali ao lado do hotel ( Golden Residence ) , onde passámos umas belas horas até voltar à labuta sempre dificil da partida para o aeroporto ( mas desta vez não era eu que me tinha de preocupar com isso , eh , eh , eh ).
O voo saiu atrasado e à espera da Mafalda e de mim , já na Portela , estavam as “nossas Joanas” . A noite acabou em minha casa , com o Mário na playstation e nós à volta da mesa a jantar comidinha do Assuka que fomos lá comprar.
Foi bom estarmos assim juntas . Nem a Maria faltou :)

E porque a vida é feita de coincidências , o Pedro , acabado de chegar da Madeira como nós , veio parar a casa de um amigo , que afinal é o meu vizinho do lado C , que vive no prédio há 3 anos e que só tinha visto pela primeira vez há cerca de duas semanas , no elevador , numa manhã em que todos parecíamos ainda estar a dormir . Foi bom conhecer o meu vizinho ( pois para quem sai de casa cedo e chega ainda mais tarde , acabo por não conhecer os meus vizinhos ) , a quem a partir de agora sempre posso ir pedir uns ovos , arroz ou qualquer outra coisa em falta na dispensa :)
E o Pedro passou a noite do C para o D , do D para o C , mas já muito “KO” – afinal a noitada tinha sido longa e as horas de descanso muito poucas. E o sol da manhã que nos deixou uma cor no rosto , ajudou ainda mais a que a preguiça se instalasse.

E domingo foi dia do LADO A LADO tocar em Viseu , de novo num espaço lindissimo , o adro da igreja , junto à Sé. E o concerto aconteceu , mesmo com a chuva que se fez sentir durante o dia e que só permitiu que as montagens tivessem inicio já cerca das 18h ( grande trabalheira , hein Lenita ? ).
Desta vez não fui porque era dia de estar com o Mário , de votar , de descansar . E há que saber dar espaço, o que não é fácil ...
Estou feliz por ser a Lena a acompanhar este projecto , mas é claro que ainda me estou a habituar à ideia de estar de fora , SÓ nesta parte da estrada.

4 comentários:

Beguinha disse...

Continuo a ler-te, a seguir a tua vida pelas palavras que soltas de forma tão espontânea e carismática. Sabe sempre bem saber coisas tuas.

Insatiable disse...

Claro que a Cláudia foi a grande contemplada da noite, não fosse ela quase como uma "filha", hehe.
Mas quero também agradecer a excelente oportunidade de vos ter como companhia.
Afinal, não é todos os dias que se pode estar com a Ana num jantar tardio com o Myfriend Banana's!
Um grande beijinho.
Sérgio

Lídia Amorim disse...

pjTenho novidades no blog! vai lá, vê e dps diz qq coisa... beijitux!

cenoura disse...

Ouvir Mafalda Veiga ao vivo, foi o realizar de um sonho! Obrigado por presentearem o Funchal, com o concerto destes.Certamente uma noite para recordar :)

Nao a conhece,mas começei acompanhar o seu Blog, desde o concerto..e Desde Já Parabens pelo trab ate entao realizado*