quinta-feira, setembro 28, 2006

Trabalho

Ando mesmo estoirada e continuo sem saber para que lado me virar . Quanto mais trabalho vou realizando , mais trabalho acumulo e os orçamentos de 2007 já começaram em força .
Tenho uma semana para deixar tudo organizado ou o mais organizado possível , para poder ir descansada uma semanita para Macau . Ainda não serão férias , mas pelo menos mudo de ambiente e vou regressar àquela terra , à qual pertenço de alguma forma.

A estreia do "Lado a Lado" foi uma emoção. Acho que precisávamos todos de um espectáculo , assim , diferente e tão especial . Acho que precisávamos todos de criar algo novo para podermos dar sentido a este ano de lufa lufa e de trabalho chato.
Foi muito bom sentir que os autores , os músicos , a equipa técnica e de produção estavam verdadeiramente felizes no final daquele concerto de 2 horas , que passou num ápice , com o público a exigir um segundo encore , já mesmo depois das luzes e do som da sala ligados , o que obrigou , de facto , a um regresso ao palco , já passados cerca de 10 minutos.
A emoção sentia-se em todos nós e o comentário geral era “ são estes momentos que nos fazem gostar tanto do que fazemos e que dão sentido ao nosso trabalho. São estes momentos que compensam o tanto que “sofremos” na estrada , kilómetros longe de casa”.

A Mafalda tem-me proporcionado bastantes momentos como este ( e a este juntou-se o João ) , que me dão força para continuar apaixonada pelo trabalho que escolhi. Já são alguns . Todas as “nossas” produções em Lisboa e no Porto , este e aquele concerto mágico que vamos conseguindo fazer com salas esgotadas à margem do mercado de espectáculos deste país e à margem do circuito dito comercial ( que muitas vezes tem audiências ridiculas ) , o projecto “ A cantora , o compositor , o estilista e o convidado dela “ ( dedicado à obra do Jorge Palma ) e algumas participações especiais , tais como a Festa do Fado ( um convite da Joana Amendoeira ) e certas tertúlias , como as de Ílhavo e de Drave.

É que trabalhar em espectáculos tem que ser um prazer. Trabalhar em espectáculos não é ter um emprego e um ordenado chorudo ao fim do mês sem nada se ter feito para o merecer . Trabalhar em espectáculos é uma entrega inexplicável e , curiosamente , os projectos que mais gozo nos dão , são quase sempre aqueles que exigem mais trabalho e menos dinheiro nos dão , mas que nos enchem a alma.
E este é o nosso trabalho , o nosso sustento , o pão na mesa ao fim de cada dia , o que muitos parecem não entender , cobrando constantemente actuações gratuitas para isto e para aquilo , nunca se sabendo muito bem para onde vão os dinheiros ganhos ( salvo algumas excepções , os casos que tentamos apoiar ). Há até quem julgue que a nossa vida é só curtir ( pois não imaginam o desgaste fisico e mental que a mesma provoca ) .
Mas é um trabalho gratificante , pelo que damos e pelo que recebemos da parte de quem o sabe apreciar. E é esta dávida que justifica tantos dias sem tempo para comer , tantas noites sem dormir , a falta de tempo para a familia , a falta de tempo para nós próprios.

Ainda hoje me disseram “ deves estar rica “, porque já eram quase 21h e eu ainda estava no escritório , aliás como nos outros dias . Não , não estou. Trabalho muito , mesmo muito e embora seja de alguma forma compensada por isso , o dinheiro que ganho está longe de pagar o que dou e está longe de me tornar uma mulher rica. Serei , sim , uma mulher rica porque acredito no que faço e apesar de já andar nestas lides já lá vão 20 anos , continuo a entregar-me aos projectos de corpo , alma e coração. Gostaria apenas de ter mais tempo para me concentrar no que interessa , em vez de perder tanto tempo com as chachadas , tão essenciais para que ao fim do mês possa pagar as minhas contas e tentar assegurar o futuro do meu filho .

Realizar sonhos não é de todo um sonho.

“Trabalhar para ganhar a vida . Porque é que a vida que se ganha tem de gastar-se a trabalhar , para ganhar a vida ? “ ( excerto de uma canção da Lena d’Água/Luis Pedro Fonseca , retirada de um livro da MAFALDA , do Kino ).

6 comentários:

janica disse...

eu voto em ti!

marisa disse...

:)

Sayonara Boy disse...

em tempos de citações, ká vai uma do "nosso" Jorge Palma:
"Há duas maneiras de fazer isto: Assim ou, então, por quem sabe. Nós fizemos assim" (Março 91)

Ainda bem que fizeram.....

Ana disse...

Sayonora, essa é do álbum SÓ :/

Margarida disse...

uma das coisas que admiro em ti e que me faz sentir aquela empatia é que parece que me tiras as palavras da boca! beijinhos Margarida

Ana disse...

Margarida, temos algo mais em comum : somos cavalo de fogo e o teu signo é o meu ascendente :) Beijos para ti e para os teus meninos.