quinta-feira, junho 29, 2006

Por terras alentejanas

Sábado passado o destino foi Mértola , para um concerto da Mafalda , junto ao cais, supostamente com plateia montada até à régie e com entradas pagas e tudo ( 4,00€ ).
O espaço era muito agradável , as condições razoavéis e apesar da imposição da plateia sentada , o público esteve praticamente todo em pé , pois o recinto encheu ( ao contrário das expectativas da organização que esteve muito receosa que umas festas ali ao lado “roubassem” público ).





Nunca tinha estado em Mértola e o tempo foi pouco para dar uma volta pela vila. Deu para almoçar no restaurante do mercado , o Migas , um lugar pacato onde pudemos comer sossegados e , pelos vistos , um dos pontos de passagem da Janica nas suas idas para Monte Gordo. A comida não era surpreendente , mas os carapauzinhos fritos souberam-me muito bem .





Mas desta vez o melhor da viagem foi mesmo a escolha do sitio para dormir – Estalagem de S.Domingos , nas Minas de S.Domingos , a 17km de Mértola.
Um paraíso no meio do alentejo , decorado com muito bom gosto e muito confortável.
O jantar de toda a equipa , com uma surpresa para o Tiago que tinha feito anos na 5ª feira ( e eu que me esqueci ! Falha imperdoável a para compensá-la , oferecemos-lhe um leão de peluche do sporting , enorme ) foi numa sala lindissíma da estalagem . A comida não era espectacular e o serviço era muito lento.
Mas a grande surpresa que a estalagem nos reservou , para além da piscina , das camas de rede , das bicicletas , da praia fluvial ali ao lado , etc , foi chegarmos do concerto , lá pelas 2.30h da manhã e sermos convidados por dois amantes de astronomia para subirmos até ao observatório , onde estivémos horas a ver as estrelas , os planetas e até uma outra galáxia – Andrómeda. Foi espectacular , mais ainda porque pude ver a constelação de escorpião :)





No dia seguinte de manhã , enquanto uns regressavam a Lisboa , outros davam um passeio de bicicleta ( que eram todas muito altas para mim ) , outros “lagartavam” na piscina e outros dormiam , resolvi dar um passeio pela aldeia da minha amiga e colega Maria José , que sempre que vai à terra me traz uma deliciosa manteiga caseira e uns queijinhos.
O passeio começou pelo complexo mineiro : Corta da Mina , oficinas e Achada do Gamo , que noutros tempos foi de extrema importância para toda a região , com linha ferroviária e tudo . Pisar aquele chão é sentir um pouco o suor daqueles operários que outra vida não conheceram . Deixei-me ir pelo meio daquelas ruínas e ninhos de cegonhas durante mais de uma hora ...









A aldeia foi construída em função do complexo mineiro , sendo as casas dos operários , pequenas , baixas e seguidas umas às outras ( o que agora se denomina por geminadas ) e as dos patrões as mais imponentes , rodeadas de jardins e coreto , ou seja , a zona onde se encontra a estalagem .





Mas a casa que mais me surpreendeu na aldeia foi esta ( o proprietário ainda veio ao quintal mirar-me com uns olhos de malvado e por isso não consegui tirar a fotografia como deveria ser – pois do lado esquerdo ainda faltam umas bruxas e umas caveiras )...



Por fim e antes que me começassem a ligar para irmos almoçar porque havia que chegar a Lisboa cedo por causa do jogo , ainda dei um saltinho à praia fluvial , a Tapada Grande , cuja areia é fininha e muito branca.







O almoço , já em Moreanes , foi no restaurante Alentejano , cujo serviço também não era um primor , mas onde realmente se come muito bem e em conta. Pena foram dois saloios que não pararam de olhar para a nossa mesa todo o almoço na tentativa de tirarem umas fotografias à Mafalda com o telemóvel. Isto já para não falar que eu não estava em sintonia com o Freitas e a Anabela ( a coisa só melhorou depois de dormitar no carro ).
Que gennntiiiiii......



Dá-me gozo ir trabalhar e ao mesmo tempo poder aproveitar um pouco os locais por onde vou passando. Dá-me mais gozo ainda poder proporcionar a toda a equipa de trabalho momentos extra profissionais , como alguns que vamos vivendo.
Desta vez , as estrelas ganharam :)
Minas de S.Domingos , quero voltar em breve ( de preferência com a minha máquina fotográfica e não com a do telemóvel ).

3 comentários:

Markus disse...

Na opinião de um Mertolense ferrenho, Mértola é a "terra" mais bonita do mundo!!! =D adorei o concerto e fiquei surpreendido quando, ao passear na blogosfera, encontrei este texto tão (bem) recheado de fotos. Já que me parece que ficou o "bichinho" de voltar ao concelho, se me é permitida uma sugestão, aconselho vivamente maio do próximo ano, pois nessa altura realizar-se-á um festival bienal, o Festival Islâmico, em que as ruas da parte velha da vila ficam inundadas por barracas, barraquinhas e tudo o mais, num verdadeiro "souk" (acho que é assim...). É um marco na vila, no concelho, em que todos se vêem envolvidos e no qual será possível ver uma Mértola bastante "feliz"...
Adorei todo o blog... os meus parabéns a todos pelo concerto =D

Ana disse...

A primeira vez que ouvi falar no Festival Islâmico foi o ano passado , pela rádio , durante uma viagem de carro. Fiquei curiosa e , desta vez , estive precisamente a falar com os organizadores do festival que para o ano adoraria voltar a Mértola para assistir ao mesmo. Espero que as datas o permitam...
Mas antes disso conto voltar para conhecer um pouco melhor a região ( o Pulo do Lobo deixou-me em pulgas ).

Sume de sumol S/ Espinhas disse...

Afinal você tem um paladar dificil de contentar, foi a minha sensação, mas estava tudo ok em Mértola menos as comida? Gostava de saber qual seriam as suas sugestões para o melhoramento do serviço- qualidade para podermos receber melhor os visitantes. Obrigado pela visita (e assim o esperamos) futuro regresso.