sábado, dezembro 01, 2007

Encontro especial em Madrid

E na sequência de tudo isto , não posso deixar passar em claro o meu encontro em Madrid com o Rubem ( obrigada C. pelo contacto )...


Há muito que tinha vontade de voltar a abraçar o meu amigo Rubem Dantas , com quem tantos momentos partilhei na companhia da sua familia , da minha familia e na companhia de amigos comuns.
É que houve uma época , em finais dos anos 80 que eu ia a Madrid mês sim , mês não e os meus abrigos ora eram a casa do Rodolfo , ora a casa do Fernando e da Madalena , mas havia sempre uns jantares em caso do Rubem , com a bela feijoada à brasileira e a casa cheia de gente. E quando o Rubem vinha a Lisboa , ficava também lá em casa ( dos meus pais ) sempre que fosse necessário. E se não ficava o Rubem , ficavam os seus amigos que viajavam de Madrid para Lisboa.
Era uma época em que as pessoas viviam de facto mais umas para as outras e muito menos para si próprias.
Recordo , com imenso carinho , que depois de uma tournée com o Paco de Lucía pelo Japão , o Rubem me trouxe um presente especial : uns origamis cujos motivos eram umas meninas a andar de baloiço. Um trabalho lindo que está bem preservado dentro de uma das minhas caixinhas de relíquias.
Sem razão nenhuma de especial ou talvez sim , o excesso de trabalho , os tempos foram passando e há mais de duas décadas que não nos viámos ou sequer falávamos.

No dia do concerto “ Fados” em Madrid enchi-me de coragem e telefonei ao Rubem. Para que ele me identificasse tive que dizer que falava a “Aninha” ( nome carinhoso pelo qual sempre me tratou ).
O Rubem não podia assistir ao espectáculo,pois nessa noite estava também a tocar em Madrid com o Chick Corea . No entanto , ele deixou-me super feliz ao fazer-me uma visita , já depois dos “nossos” concertos e jantares terem terminado.
Apesar de cansados , estivemos juntos e soube tão bem voltar a estar com aquele “garotão” , agora vôvô de uma série de netos :/
Falámos pouco , mas há coisas que estão cá dentro e são tão nossas que não precisam de ser ditas. Mas conversámos um pouco sobre as nossas vidas e o nosso trabalho. E pelo que pude perceber o Rubem anda a mil ( como sempre ), cheio de ideias e projectos e trabalho concreto.

Este amigo, músico, foi o homem que introduziu a percussão no flamenco como, por exemplo, o cajón, hoje em dia tão utilizado neste género de música.
Foi editado recentemente o seu disco de originais “Festejo” e pelo que já pude ouvir do CD single que ele me “regalou” , é mesmo uma festa , na qual participam tantos amigos e músicos com quem tem feito o seu percurso musical.
Há poucos dias houve um evento de apresentação do seu site que só hoje tive oportunidade de visitar e que ADOREI - www.rubemdantas.com.

Agora estou certa que não vamos esperar mais 20 anos para estarmos de novo juntos.
Estamos aí :)

Sem comentários: